Vamos correr?

Seja bem-vindo ao Haja fôlego!. Nosso objetivo com este blog é compartilhar com você a nossa paixão por corridas de rua e divulgar todo o material o qual temos acesso diariamente. Como não somos médicos, fisiologistas e muito menos preparadores físicos - somos apenas um jornalista e uma psicóloga que gostam de correr nas horas vagas - tudo o que escrevemos aqui é fruto de pesquisa e leitura em revistas e sites especializados. Portanto, antes de começar a correr ou praticar qualquer atividade física, procure um médico cardiologista e faça todos os exames possíveis, ok? Esporte é vida, saúde, prazer! Boa leitura. Te esperamos na próxima corrida.

domingo, 8 de novembro de 2009

Os perigos do excesso de sal na comida

O texto abaixo foi publicado no jornal O Dia e gostaria de compartilhá-lo com você. Se você é daqueles que adoram encharcar de sal a porção de batata frita no barzinho ou tudo o que veem pela frente, muito cuidado. Não sabe por quê? Então, leia com atenção!
Dieta salgada e perigosa
Segundo estudo da Organização Mundial de Saúde, o limite máximo saudável são seis gramas, mas o consumo no País chega a 12 gramas. O brasileiro ingere o dobro da quantidade de sal por dia que deveria. Além disso, apenas uma refeição fast food pode ter 78% do consumo ideal recomendado em um dia, que são 2,4 gramas.
Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, lanche completo do Mc Donald’s — com Big Mac, batata frita grande, refrigerante à base de cola de 700 ml e sundae de chocolate — contém 1,79 g de sódio.
No restaurante japonês, é bom ter cuidado com o excesso do shoyo no molho: 100 ml do tempero, equivale a 5,02 g de sódio. Além disso, poucas pessoas se atentam ao fato de que os doces também possuem sódio em sua fórmula. Um sundae de chocolate tem em torno de 0,33 g de sódio, e pacote de bolachas recheadas de chocolate tem 0, 24 g.
Segundo o presidente da sociedade, o cardiologista Fernando Nobre, o sódio necessário ao bom funcionamento do organismo está inserido nos alimentos naturais e acrescentar sal à comida pode ser danoso. O hábito favorece a hipertensão e pode levar ao infarto, derrame e insuficiência cardíaca. “As pessoas se preocupam com as calorias, mas não com o sal. Obesos, sedentários e pessoas com a doença na família têm maior risco de desenvolver a hipertensão”, afirma.
Só no Estado do Rio, 3,5 milhões de pessoas com mais de 18 anos — 29% da população — são hipertensas. A assessoria do Mc Donald’s informou que seus produtos se adequam a dieta balanceada e que a combinação usualmente consumida pelos clientes (sanduíche Big Mac, fritas e refrigerante de 500 ml) apresenta 54% do índice de sódio recomendado diariamente para um adulto.
COMO EVITAR O EXAGERO
* Substitua o sal por temperos naturais como ervas, salsinha, orégano, hortelã, manjericão, coentro e cominho.
* Prepare os alimentos com pouco sal e retire o saleiro da mesa.
* Evite conservas como picles, azeitona, patês e palmito e enlatados como extrato de tomate, milho e ervilha.

* Evite carnes gordurosas, linguiças e embutidos como salsicha e salame

* Evite carnes artificialmente salgadas como bacalhau, carne-seca e defumados.
* Evite o aditivo glutamato monossódico, utilizado em alguns condimentos e em muitos produtos industrializados, como sopas em pó.
* Prefira queijo brancos como ricota, cottage e minas.

Um comentário:

Dulce disse...

Eu não tinha este conhecimento. Acho que vale a pena tentar modificar estes habitos. Valeu pela dica!